Velas com óleo essencial, sim ou não?

Eu já comentei neste post que recebo inúmeras perguntas sobre velas com ceras naturais. Qual usar? Quais quantidades? Como derreter? Como fazer? Qual a melhor mistura? E etc. Mas nas últimas semanas, fui super questionada sobre a utilização dos óleos essenciais. No post que citei logo na primeira linha deste artigo, tem um parágrafo falando um pouco sobre a minha opinião, mas achei necessário, criar um post único e detalhado.

Para mais questões, leia também:

Vela de cera de soja
Vela de soja com flores naturais
Dicas e respostas sobre velas – Guia sobre “problemas” com cera de soja
Dicas e respostas sobre velas – Ceras de soja, coco, abelha e mais


O que são?

Diferentemente das essências (que são sintéticas), os óleos essenciais são produtos naturais e completamente puros, extraídos exclusivamente de; plantas, flores, frutos, cascas, raízes e resinas.


Intensidade

O perfume de um óleo essencial puro é intenso, repleto de nuances e diferentes notas de aroma, que possuem propriedades medicinais.

Porém, isso se comparados na proporção de 1 para 1 contra uma essência sintética.

Além disso, existem óleos essenciais que quase não possuem cheiro, (ex; camomila, marula, jojoba, semente de uva), já outros são tão fortes que são possíveis identificá-los de longe, (ex; tea tree, sândalo, cravo…). Mas saiba: Apesar de alguns óleos terem o cheiro bem intenso, isso não quer dizer que o perfume seja duradouro. A duração do perfume está ligada à volatilização do óleo e à sua molécula e não se o perfume é forte. Leia aqui.

Exemplo: O OE de toranja ou mesmo o de tea tree, possuem um cheiro bem forte, porém, eles evaporam muito rápido e a duração do perfume é muito pequena. Já o OE de tonka ou baunilha não possuem um perfume tão pungente, porém duram mais, pois evaporam de forma mais lenta.


Pra que servem?

Muitos são usados na aromaterapia, com o intuito de transformar os sentimentos, regulando o corpo de quem o utiliza. Mas devem ser usados com parcimônia e nunca em grandes quantidades.


Preço

Os óleos essenciais realmente puros, são caros e há um motivo para isto:

Para se obter 1 litro de algum óleo essencial de flor, (por exemplo; camomila), é necessário utilizar de 1 à 4 toneladas de pequenas florzinhas e pétalas.

Logo, é mais do que natural que um pequeno vidro de 30ml de óleo essencial custe acima dos 80 reais.

O preço também pode variar conforme o país de origem, a dificuldade de plantio ou obtenção da matéria prima.


Mas e então, eu posso usar óleo essencial para fazer velas?

Sim, claro que pode, mas…

– Os óleos essenciais perdem suas funções terapêuticas quando aquecidos acima dos 55 graus Celsius,

– Os óleos essenciais não deveriam ser misturados em ceras sintéticas como a parafina,

– Os óleos essenciais com finalidade terapêutica não devem ser misturados nas essências sintéticas, pois seu efeito tende a não ser benéfico, podendo causar alergias e irritação na pele,

– Os óleos essenciais não devem ser usados em grandes quantidades, (usar uma quantidade maior do que a recomendada pode ter o mesmo efeito maléfico que descrevi sobre as essências),

– Os OEs são foto-sensíveis, e podem sofrer alteração na cor e na fragrância se expostos à luz.


Curiosidades

*Esta é uma nota pessoal, eu não sou nenhuma mega expert em OEs, mas já li que o óleo essencial de laranja, tem suposto poder de cancelar os outros perfumes, seja ele de notas mais intensas ou não. Então faça testes e veja por você mesma se a sua vela perderá fragrância ou não.


Se ainda assim, você quiser usar óleos essenciais,…

Veja como usá-los na confecção de velas:

– Escolha uma cera com ponto de fusão baixo, (ex; cera de coco), ou escolha uma cera com queima lenta, (ex; cera de abelha),

– Escolha uma cera naturalmente oleosa e que retenha o perfume do óleo, ou faça uma mistura com ceras e gorduras de cacau, coco ou etc,

– Escolha óleos essenciais com cheiros MUITO intensos, do contrário o perfume não irá se sobressair na vela, (dica; os aromas cítricos e alguns florais são sempre os mais fracos e nunca “aparecem” nas velas, já os aromas almiscarados, picantes e amadeirados são os que mais se sobressaem),

– Certifique-se de usar bastante óleo para fazer uma vela com fragrância perceptível, mas não use em excesso, pois uma concentração elevada de óleos essenciais provoca irritações na pele e mucosas, pode provocar espasmos, aborto e até dor de cabeça intensa. (Para saber a quantidade máxima recomendada, você precisará conhecer sobre o óleo essencial que escolheu),

Eu recomendo um uso de no máximo 6% de óleo essencial para o peso total da vela.
(Ou seja, para ~ 100g de cera, use ~ 6ml de óleo essencial),

– Adicione os óleos essenciais sempre com a cera morna, se ela estiver muito quente, irá “matar” a função terapêutica do óleo e seu perfume começará a se dissipar, (mas lembre-se adicionar óleo na cera muito morna ou fria, faz com que a cera e o óleo não consigam se fundir corretamente, causando a aparência de “vela suada” depois de esfriar),

– Depois de despejá-la no copo, pingue uma pequena gota sobre a cera ainda líquida para dar um “up” no perfume da vela, (cuidado, se a gota for muito grande irá deformar a superfície da vela),

– Por fim, quando sua vela estiver completamente fria e sólida, tampe-a e deixe curar por no mínimo 1 semana em um local escuro, (e mantenha-a tampada até acender ou entre os usos, assim você evita que o perfume escape).

Fotos:

10 thoughts on “Velas com óleo essencial, sim ou não?

    1. Oi Bianca,

      O tempo de cura depende da cera usada e do tipo de óleos/essência.
      De 2 dias á 1 semana é um tempo bom. Mas eu prefiro deixar a vela curando com tampa por umas 2 semanas antes de acender.

      :**

  1. Oi,
    Você conheçe ou indica alguma marca de essência dessas importadas com boa qualidade?
    É bem dificil de achar fornecedor bom aqui. Algumas essências tem cheiros de produtos de limpeza rs.
    Os OE tem essa vantagem em relação aos sintéticos.

    1. Oi Claudia,

      Para essências sintéticas, eu indico as da Candles Cience, elas são ótimas, mas infelizmente a compra pelo site oficial não entrega no Brasil, você terá que usar um serviço de encaminho postal. https://www.candlescience.com/fragrance-oil/all-fragrance-oils

      Para os óleos essenciais, eu indico os da Aura Cacia, são excelentes e de perfume incríveis. Mas não são muito baratos: https://br.iherb.com/c/aura-cacia/Single-Oils O site da IHerb entrega aqui no Brasil.

      Tem também os da Now Foods, eu já usei e gosto, mas já vi pessoas reclamando destes OE. https://br.iherb.com/pr/Now-Foods-Organic-Essential-Oils-Lemon-1-fl-oz-30-ml/929

      Tem também os da DoTerra, nunca usei, mas sei de pessoas que usam e gostam.

  2. Bom dia.
    Adoro suas dicas e a atenção que você dá a todos aqui.
    Minha dúvida é em relação à temperatura que a cera, no meu caso o blend de coco, palma e arroz, deve estar para eu acrescentar os óleos essenciais. Você diz que ela tem que estar morna, mas não muita morna, quanto seria isso, aproximadamente? Desde já agradeço sua atenção.

    1. Oi Edna, obrigada :)

      Eu não tenho uma resposta exata e precisa da temperatura certa para o seu caso de uso, mas vamos lá;

      Basicamente é assim: Pros óleos (as essências também são oleosas) se fixarem e “grudarem” nos cristais da cera, é preciso que a cera esteja completamente derretida, este “completo derretimento” tem uma temperatura, que é chamada de ponto de fusão. Cada cera tem o seu ponto de fusão, e esta informação deve constar no laudo técnico do fabricante da cera.
      Acontece que sabemos que a essência evapora à determinada temperatura, e esta temperatura nem sempre condiz com a temperatura do ponto de fusão da cera.

      Como exemplo: As essências cítricas ou OEs, costumam evaporar perto dos 45~50 graus, porém a cera de coco pura (não confundir com a T2) tem ponto de fusão próximo dos 35 graus, logo, adicionar a essência cítrica à 35 graus (que é quando a cera de coco estará completamente derretida) preservará a essência e não ocorrerá a evaporação excessiva.
      Já a cera de arroz pura, tem ponto de fusão entre 77 á 85 graus Celsius, logo, quando ela estiver completamente derretida, estará próxima à essa temperatura, sendo assim, se você adicionar uma essência que evapora à 50 graus, toda ela irá evaporar.
      Já a cera de palma tem ponto de fusão entre 57 e 59 graus Celsius.

      Como a cera que você usa é a T2, que é uma mistura respectiva de: Cera de arroz, cera de palma e cera de coco. Você deve descobrir o ponto de fusão que consta no laudo técnico do seu fornecedor e tentar adequar a adição da essência ao derretimento da sua cera.

      Geralmente, (isso não é uma regra), uma temperatura próxima e abaixo da temperatura de evaporação da essência é uma boa temperatura para adicioná-la na cera. Porém, algumas ceras necessitam de uma temperatura mais alta para se fundirem. (Como é o caso da parafina ou mesmo da cera de abelha ou arroz, que precisam que a essência seja adicionada à aproximadamente 60 graus para que “grudem” nos cristais da cera).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: