Como criar um perfume intenso e duradouro para sua vela de cera vegetal

Antes de começar este post, (e caso você tenha mais alguma dúvida sobre ceras vegetais), por favor, leia meus demais artigos e todos os comentários:

Vela de cera de soja
Dicas e respostas sobre velas – Ceras de soja, coco, abelha e mais
Dicas e respostas sobre velas – Guia sobre “problemas” com cera de soja
Velas com óleo essencial, sim ou não?
Vela de soja com flores naturais


Se você é fã de velas muito perfumadas e está com “problemas” em deixar a sua produção com um perfume intenso e duradouro, veja algumas dicas que podem te ajudar:


Por onde começar

Assim como qualquer fragrância, a composição para obter um perfume para velas que seja perceptível e duradouro, demanda estudo sobre as famílias olfativas de cada essência ou óleo essencial.

A percepção e fixação do aroma na vela está mais ligada à volatilização da essência antes e durante a queima.

Toda essência ou óleo essencial é classificado como tendo alguma nota olfativa, que pode ser de: saída, coração ou fundo. Estas notas, evaporam e são percebidas pelo nosso nariz em momentos distintos.

Notas de saída, (também chamadas de cabeça ou topo): São as primeiras notas que nosso nariz é capaz de sentir, ou seja, são aquelas essências super voláteis, (que evaporam mais rápido). Dentre elas estão as consideradas refrescantes e cítricas. O uso mais indicado é em torno dos 15~25% na composição do perfume.

Coração, (chamado também de meio ou corpo): São as essências intermediárias e um pouco menos voláteis, sendo assim, evaporam mais devagar e são percebidas pelo nosso nariz depois das notas de saída. Dentre elas estão algumas flores, folhas, algumas frutas e especiarias. O uso mais indicado é em torno dos 50~60% na composição do perfume.

Fundo ou base: São as essências mais oleosas, com moléculas de alto peso e menos voláteis. Geralmente são encontradas em base pastosa e até resinada. Dentre elas estão as resinas, cascas de árvores, algumas especiarias, algumas gramíneas e glândulas animais. O uso mais indicado é em torno dos 25~35% na composição do perfume. Estas mesmas moléculas de alto peso, atuam como fixadores naturais, ou seja, fazem com que as essências escolhidas, “grudem” nos cristais da cera da vela.

Então se você quer uma vela com grande perfume e “grande” fixação, tem que procurar por essências e extratos que sejam naturalmente oleosos, ou então, criar uma mistura de cheiros, com famílias olfativas que possua notas de saída, coração ou fundo.

Ainda, para um perfume realmente duradouro, sugeri-se o uso de absolutos, que são líquidos aromáticos obtidos de flores que não resistem aos processo destilado pelos quais passam os OEs. Assim, os princípios ativos são extraídos com solventes, que posteriormente são separados em princípios aromáticos resultando num líquido muito mais refinado que os óleos essenciais.


Saiba que

Já sabemos que cada essência ou OEs é classificado por uma nota de saída, coração ou fundo. Esta classificação é feita à partir do peso do óleo e do ponto de evaporação, mas quando se trata de velas, devemos contar também com o ponto de inflamação (fulgor).

O ponto de inflamação é aquele quando acendemos a vela, a cera queima através do pavio e o perfume vaporiza completamente.

Nota: Não é porque uma essência cítrica inflama à 45°C que nós só sentiremos nesta temperatura. Isto quer dizer que ela irá exalar somente até atingir a temperatura máxima dos 45°C, depois disso, ela terá evaporado completamente. Se você pegar um vidrinho de essência e abrir à temperatura ambiente, você irá sentir o perfume assim que chegar o nariz perto do produto, porém, se você pegar essa essência e aquece-la numa panelinha, ela irá começar à evaporar e assim que atingir seu ponto de inflamação, terá evaporado completamente.


Como saber quais essências evaporam mais rápido que outras

Neste caso, é preciso estudar cada uma das essências, já que todas são diferentes.

Sabemos que quanto mais baixa for a temperatura do ponto de inflamação do óleo, mais rápido ele evaporará conforme a vela queima.

Como exemplo: Os óleos cítricos possuem pontos de inflamação mais baixos, o que significa que evaporam rapidamente e não suportam muito calor. O de tangerina, tem ponto em aproximadamente 45°C, logo, sabemos que se ele for adicionado à cera derretida e quente com temperatura superior à 45°C, o perfume será perdido.

Este site é um bom começo para estudos e nele há uma tabela com o ponto de evaporação de alguns OEs.

neste, você irá ver a história e composição de qualquer fragrância, (é só colocar o nome do perfume lá em cima em search e dar enter).

Este é outro artigo excelente sobre como criar perfumes naturais.

Alguns exemplos:

Saída

– Manjericão,
– Tomilho,
– Limão,
– Lima,
– Toranja,
– Hortelã,
– Bergamota,
– Laranja Doce,
– Pêssego,
– Pêra,
– Neroli,
– Cássia,
– Tea Tree,
– Pimenta rosa.

Coração

– Noz-moscada,
– Folha de canela,
– Cravo,
– Café,
– Abeto,
– Cardamomo,
– Flor de laranjeira,
– Melissa,
– Ylang-Ylang,
– Jasmim,
– Íris,
– Rosas,
– Manga,
– Anis estrelado.

Fundo

– Tonka,
– Breu branco
– Cacau,
– Patchouli,
– Sândalo,
– Cedro,
– Fava de baunilha,
– Gengibre,
– Cravo,
– Cipreste,
– Musgo,
– Vetiver,
– Âmbar,
– Almíscar.

Conhecendo isso, eu sei que se fizer uma vela usando somente essência de limão, o perfume não terá corpo suficiente para ser duradouro e vai evaporar muito rápido.


Como misturar

Existe uma técnica para misturar essências na hora de fazer velas.

Se sabemos que devemos respeitar o ponto de inflamação de cada uma das essências, e também sabemos que devemos criar um equilíbrio entre as notas de topo, meio e fundo, devemos priorizar o uso das notas mais duradouras na confecção da vela dependendo do ponto de fusão da cera escolhida, (nota; não confundir ponto de fusão com ponto de fulgor).

O ideal é procurar por ceras com pontos de fusão compatíveis com o ponto de inflamação das essências escolhidas ou baixar o ponto de fusão da cera misturando-a com outros óleos e/ou gorduras para deixar a cera mais emoliente.


Composição:

Para criar uma composição, pense sempre num blend de essências que tenha aproximadamente: 20% de essências de saída, 50% de essências de coração e 30% de essências de corpo.

Exemplo de como criar 100ml de essência perfumada para uma vela cítrica e adocicada feita com cera de coco (que tem ponto de fusão baixo):

Misture

20ml de essência de lima,
20ml de essência de Ylang-Ylang,
30ml de essência de flor de laranjeira,
10ml de essência de baunilha,
20g de manteiga de cacau.

Durante a confecção da vela e depois de já ter derretido a cera escolhida, você pode usar algum óleo ou gordura que irá baixar o ponto de fusão da cera e funcionará como um “fixador” para o perfume. (A manteiga de cacau do exemplo acima, já tem esta função).

Mas se você quiser acrescentar mais algum, dá para usar óleo de damasco, óleo de abacate, óleo de amêndoas, gordura de coco, manteiga de andiroba, manteiga de babaçu, âmbar e até azeite. Lembre que os cheiros desses óleos e gorduras farão parte da composição do perfume da vela.

A gordura hidrogenada, por exemplo, é uma gordura completamente inodora e neutra. Neste caso, ela não acrescenta perfume nenhum à sua vela, porém, à deixa emoliente.

O óleo de damasco tem um cheirinho frutado, logo, ele não só ajuda na fixação da essência como também agrega corpo e notas de perfume. Por isso ele funciona como “fixador”. (Mas é um erro achar que ele é de fato um fixador, ok?).

Já o azeite, além do cheiro ele ainda é de tom bem esverdeado o que irá alterar levemente a cor da sua vela pronta.


Na hora de adicionar as essências e os óleos na cera derretida:

– Baixe a temperatura da cera, (nunca deixe passar dos 60 graus e caso passe, espere ela amornar),
– Adicione as manteigas e as gorduras que forem sólidas primeiro, e misture até estarem completamente derretidas e fundidas à cera,
– Depois, adicione as essências que tiverem o ponto de inflamação mais alto, (ou seja, as de fundo, que são mais resistentes e menos voláteis),
– Em seguida, adicione as essências de coração,
– Por último, adicione as essências de saída,
– Envase a vela e depois de sólida, deixe tampada.


A dica máxima aqui, é decidir quais fragrâncias você quer usar, descobrir a família olfativa delas, descobrir o ponto de inflamação e à partir daí, se basear nestes estudos para criar perfumes exclusivos e duradouros.

Além disso, lembre-se também que a essência que melhor volatiza é aquela que “gruda” nos cristais da cera. E para isso, é ideal que tenha a quantidade de gordura certa na composição da vela.

Use no mínimo uns três tipos de essências e/ou uns três tipos de gorduras ou óleos essenciais para criar um perfume fixador.

Todas as dicas: Carla Antoni | Todas as fotos deste post, são de Hello Glow

6 thoughts on “Como criar um perfume intenso e duradouro para sua vela de cera vegetal

  1. Oi Carla! Tudo bem?

    Se quando eu for criar uma essência quiser que seja evidente o perfume de uma essência cítrica ou herbal, como por exemplo o bambu ou limão siciliano, como faço pra que isso aconteça? As outras essências que vão ajudar na composição não vão interferir no aroma que eu gostaria de sentir a ponto de camuflá-lo?

    1. Oi Laura,

      Dependendo da essência que você escolher, o perfume cítrico vai ficar camuflado sim. Por isso tem que escolher bem e pensar na composição dos aromas. O ideal, é procurar por fragrâncias que combinem à ponto de uma não mascarar a outra. E pra saber quais, só testando mesmo. (O exemplo que eu dei no parágrafo Composição é exatamente um blend pensado para uma essência não anular a outra).

      Mas nada impede de você criar uma vela usando somente essências cítricas, a única coisa que vai acontecer, é que a vela não irá exalar tanto.

  2. Olá, boa tarde.

    Gostaria de saber se é possivel utilizar essencias mais hidrossoluveis na cera de coco, palma e arroz.
    Gostei de alguns aromas do Peter Paiva mas ele não possui na linha de velas, apenas na padrão. Entrei em contato e eles me disseram que são essências mais hidrossoluveis.

    Muito obrigada

    1. Oi Isabela, é melhor não usar as hidrossolúveis para velas, essas essências são ótimas para sabonetes, pois se misturam e dissolvem na água. Mas elas não são compatíveis com a ceras (que são óleos e gorduras).
      Todas as ceras, sejam vegetais, animais ou derivadas do petróleo não são solúveis em água, por isso é importantíssimo que as essências sejam oleosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: