Como viajar gastando menos sem passar perrengues

As vezes eu recebo e-mails de leitores e vários questionamentos de amigos, perguntando como eu planejo minhas viagens e orçamentos, sem negativar minha conta bancária e ficar endividada.

E a verdade é uma só: Eu planejo a viagem com anos de antecedência e vou juntando dinheiro todo mês.

Bruno e Carla - Ponte do Brooklin - New York
Ponte do Brooklin – New York.

Ser flexível é o segredo da economia e bom uso do tempo e de sua suada graninha. Se você realmente quer viajar, então, encontrará maneiras de fazer isso acontecer, mas pra mim, um bom plano começa com reservas, poupar para poder pagar e voltar sem dívidas. Se educar financeiramente, isso sim é a chave de um bom planejamento.


Comportamento e escolhas:

1 – Eu não viajo com o intuito de fazer compras, a minha viagem é voltada para as experiências culturais e gastronômicas. (Museus, ruas turísticas, restaurantes, etc).

2 – É verdade, há lugares em que estou disposta a gastar mais se isso significar que o dia seja mais tranqüilo e prazeroso, assim economizando tempo no lugar do dinheiro, mas por outro lado, eu compenso esse gasto economizando em outros passeios.

3 – Eu sempre, SEMPRE planejo tudo nos mínimos detalhes, e uso ferramentas como o Trello e o Google Drive.


Orçamento:

Baseada naquilo que consigo juntar todo mês, eu determino uma meta anual, e trabalho em cima dessa meta para adequar minha viagem.

Eu “idealizo” 3 orçamentos/metas:

Mínima | Média | Máxima | e separo +10% de cada meta para custos extras/urgências.

Exemplo: Vamos supor que você receba um salário X, e deste salário você consiga economizar as quantias abaixo.

Mínima – Se você economizar pouco, por mês conseguirá reter 500 reais = 6.000 reais no ano.

Média – Se economizar moderadamente, por mês conseguirá reter 800 reais = 9.600 reais no ano.

Máxima – Se economizar muito, por mês conseguirá reter 1.000 reias = 12.000 reais no ano.

Agora, retire 10% desses valores totais, sendo:

Meta mínima = R$6.000,00 – 10% = R$600,00, logo eu terei: R$5.400,00 de orçamento livre + R$600,00 para custos extras/urgências.

Meta média = R$8.640,00 de orçamento livre + R$960,00 para custos extras/urgências.

Meta máxima = R$10.800,00 de orçamento livre + R$1.200,00 para custos extras/urgências.

Se por exemplo, você conseguir atingir a Meta Média, significa que terá 8.640,00 reais para gastar na viagem + 960,00 reais para também gastar com a viagem, porém como custos extras/urgências, ex; taxas extras de hotéis, urgências com remédios/curativos, ou para comprar qualquer coisa de última hora que por algum motivo tenha ficado fora do planejamento.

Agora, baseada nestes valores, decida para onde você quer ir e quanto tempo ficará viajando.

Florença - Piazzale Michelangelo - Ao fundo, as ruínas das muralhas Toscanas
Florença – Piazzale Michelangelo – Ao fundo, as ruínas das muralhas Toscanas.

Saiba disso: Viajar na Europa não é mais caro do que ir para os EUA, e mais do que isso, viajar para o exterior na baixa temporada é ainda mais barato do que passar o carnaval na Bahia.


Supondo que eu tenha escolhido a cidade de Roma para ir, e encontrei estes valores: (Lembre, esses valores são hipotéticos e em reais, somente para facilitar o exemplo).

Passagem de ida e volta para Roma: R$ 2.500,00
Hotel com café da manhã por 7 dias: R$ 3.500,00
Passeios e atrações turísticas: R$ 80,00 por dia x 7 dias = R$ 560,00
Transporte, (metrô e trens): R$ 40,00 por dia x 7 dias = R$ 280,00
Comida, (almoço e jantar): R$ 100,00 por dia x 7 dias = R$ 700,00
Pequenas compras, (souvenirs): R$ 20,00 por dia x 7 dias = R$ 140,00

Custo total: R$ 7.680,00

Logo, se eu tenho guardado da Meta Média; R$ 8.640,00 + R$ 960,00, e o custo total da viagem ficou em R$ 7.680,00, então eu sei que tenho dinheiro suficiente para fazer esta viagem e ainda poderei me dar ao luxo de gastar o que sobrar ou guardar para uma próxima vez.


Data:

Eu sou a maior fã de viagens fora de época/temporada, e amo viajar no inverno. Isso garante viagens mais baratas e uma experiência sem aquela multidão de turistas que encontramos no alto verão. Mas fique atento às épocas de chuvas/monções, pois o clima não pode ser um estraga prazeres, ok?

Usar a roupa certa também é fundamental em viagens invernais. Se escolheu conhecer a neve, invista em uma bota apropriada, em térmicas adequadas e em um casaco quente.

Japão - Neve em Shirakawa-Go - Fevereiro de 2019
Japão – Neve em Shirakawa-Go – Fevereiro de 2019.
Itália - Veneza nevada- Março 2018
Itália – Neve em Veneza – Março 2018.

Fique de olho nos feriados e datas comemorativas, (ex; o ocidente comemora o Natal, o que faz com que as passagens para lugares onde se comemore esta data sejam incrivelmente caras, mas o oriente não comemora, isso significa que como não é feriado por lá, há grande chances das passagens estarem bem baratas nesta época), então una os dois mundos, quando as comemorações de um país não coincidem com o calendário e comemorações de outro país as chances de conseguir bons preços dobram.


Passagens:

As companhias aéreas têm passagens promocionais o tempo todo, basta pesquisar muito e ficar de olho bem aberto. (Eu sempre compro passagens em promoções).

Lembre-se que as passagens e as estadias nos hotéis devem ser pesquisados simultaneamente, pois as vezes a promoção de passagem é excelente, mas para a mesma data só há hotéis caríssimos disponíveis.

Tenha uma data flexível, se você sabe que suas férias serão em Março e você escolheu passar 12 dias viajando, comece vendo as passagens e seus preços de cada dia do mês. Isso realmente barateia o custo, (ex; voar na quarta-feira é mais barato do que voar no sábado).

Se for possível, compre as passagens com no mínimo 3 meses de antecedência, (se você for viajar de trem dentro da Europa, também dá como comprar as passagens meses antes bem mais baratas pela internet). Nunca deixe para comprar na hora de ir.

Saiba que sempre existem jeitos mais baratos de se locomover dentro das cidades; troque o taxi pelos trens, troque os trens pelos ônibus, e se a distância for curta, troque os ônibus por ir andando. Andar é maravilhoso e de dará uma visão da cidade que nunca nenhum transporte te proporcionará.

Andando por Paris
Andando por Paris.
Andando por Tokyo - Shinjuku Omoide Yokocho
Andando por Tokyo.

Na hora de pesquisar as passagens, limpe seus cookies do computador, (você já reparou que foi procurar um vôo e viu um preço, no dia seguinte voltou a pesquisar e o preço havia aumentado? Os sites são “inteligentes”, eles armazenam nossas informações de pesquisa e sabem o que estamos procurando, portanto, limpe seu histórico para achar o mesmo preço ou melhor.

Fique atento as regras das passagens promocionais: Eles têm regras rígidas sobre as malas, e há muitas taxas de embarque que as vezes não aparecem no preço do bilhete.

Fique de olho nas conexões, tem passagem promocional que é uma verdadeira pegadinha, você comprou a passagem dos sonhos por um preço bacana e esqueceu de verificar as regas, nessa hora, descobre que este bilhete é cheio de conexões, que você só tem 1 hora para trocar de avião, e pior, descobriu que vai ter que trocar de aeroporto, :/, se a esmola for muita, desconfie. Conexões micro e impossíveis de chegar, troca de aeroportos, cias duvidosas, comida ruim, as armadilhas são infinitas. O melhor conselho que eu posso dar é: Pesquise! Este é o único jeito de não ser enganado.

Aprenda a viajar com pouca coisa. Pode parecer impossível, mas sim, é totalmente possível e viável viajar apenas com uma mala de mão e uma mochila. Eu faço isso em todas as minhas viagens e nunca tive que pagar por excesso de bagagem.

Fiquei 18 dias no Japão e essa era toda a minha bagagem.
*Fiquei 20 dias viajando,
e essa era toda a minha bagagem.
e essa era toda a minha bagagem.

*O meu segredo: Hospede-se em locais com lavanderia e leve roupas escuras.


Você vai viajar em família e está morrendo de medo de sentarem separados, por isso quer gastar mais para reservar os assentos? Não, não faça isso.
Primeiro: As cias aéreas nunca separam as crianças dos seus pais, então se seu filho é menor de idade, fica tranquilo, ele está protegido pela lei e SEMPRE irá do seu lado.
Segundo: Aprenda a fazer o check-in na primeira hora das 24horas em que ele abriu. A internet está aí para facilitar, então aproveite-a.

Eu nunca paguei a mais para reservar assentos e nunca fui separada do meu companheiro de viagem, (eu coloco um aviso no calendário do meu celular, para me lembrar de fazer o check-in online assim que ele fica disponível).

Vale ressaltar que as vezes o vôo mais barato não é a melhor opção, ex; se você tiver uma conexão muito longa que exija a estadia em um hotel pago por conta própria, então o que você irá economizar com a passagem, acabará sendo gasto com a pernoite, a refeição e o transporte até o mesmo, (fora o cansaço que não tem preço), neste caso, o barato sai caro. Vale mesmo a pena economizar com o bilhete e acabar gastando com a conexão? Eu acho que não.

Viagens de última hora só são benéficas para um grande e experiente viajante. Eu sei que as vezes é irresistível; apareceu uma promoção de ida e volta para Paris por 1.500,00 reais, só que o vôo é para daqui 4 dias e você não tem nada planejado. Será que essa promoção vale tanto a pena? É uma tentação, então a menos que você já conheça tudo, já tenha Euros na carteira, seu hotel esteja disponível e você tenha um emprego com férias flexíveis, eu não o aconselho.


Transporte:

As vezes é mais caro dirigir e alugar um carro do que ir com transporte público. O conforto de ir com suas malas dentro do porta malas pode ser inegável, mas se a ideia é economizar, então faça as contas: Vocês estão em 2 pessoas ou em 5?

Pedágios, gasolina e estacionamento são realmente caros, você vai precisar do seguro e uma PID, permissão internacional para dirigir dentro da lei.

Trem de Roma para Florença
Trem interestadual na Itália.
Ônibus de Kyoto para Takayama no Japão
Ônibus interestadual no Japão.

Os trens costumam ser mais rápidos em comparação com os ônibus, porém os ônibus chegam a custar metade do preço da passagem de trem.

Eu já fiz várias viagens interestaduais de transporte público pela Europa e Asia, e garanto que comprando a passagem com antecedência, gastei muito menos do que se tivesse alugado um carro, e ainda fui na tranquilidade de apenas me preocupar em observar a paisagem. Não tive que pesquisar pelo trajeto, nem por postos de gasolina, nem me preocupar em evitar acidentes de trânsito.


Hospedagem – Hotéis, AirBnBs e outros lugares:

Hospede-se num local com boa localização, assim você pode ir andando para a maioria dos pontos turísticos e não gasta tempo e nem dinheiro com transportes.

Mais uma vez, a regra aqui é pesquisar por promoções. Eu prefiro dormir em algum hotel do que em AirBnBs, isso porque sempre acho cupons imperdíveis, que me garantem segurança, café da manhã e conforto, por um preço melhor do que alugar uma casa. Já cheguei a pagar mais barato na estadia de um hotel 4 estrelas com direito a muitas regalias, (café da manhã, serviço de lavanderia, frigobar sem custo, banheira e mais), do que se tivesse alugado um AirBnB para a mesma data.

O que eu faço:

1 – Começo abrindo o google maps e escolhendo o bairro que quero me hospedar,

2 – Coloco a data da viagem e uso o filtro de hotéis,

3 – Pesquiso por hotéis na área escolhida e comparo os preços nos sites: Booking.com, TripAdvisor, Expedia, Agoda e etc,

4 – Depois abro os sites oficiais dos hotéis que pré selecionei, entro no campo de promoções/cupons,

5 – Com a média de preços já vista, agora abro o AirBnB, seleciono o mesma data e mesmo bairro escolhido,

6 – Coloco na balança todas as facilidades e o que cada hotel me oferece verso o que o AirBnB oferece.

Hotéis: Levo em conta a localização, a segurança, limpeza, as facilidades, como; o café da manhã, as toalhas, os amenities, secador de cabelo, qualidade da cama, do banheiro, acústica, (se o hotel não for bem projetado, o barulho vai acabar atrapalhando o seu sono). E comparo resenhas de outros hóspedes, do que gostaram, do que não gostaram e etc.

AirBnB: Levo em conta a localização, a segurança, se existe mercado próximo, (afinal, terei que comprar suprimentos para o café da manhã, ou sair todo dia pra tomar café em cafeteria), quantos quartos e qual o tipo da cama, se é possível fazer check-in e check-out a qualquer hora, se o anfitrião tem boa reputação e etc.

Hall hotel Astra Paris
Hall hotel Astra – Paris.
Florença hotel Pendini - Quarto
Quarto hotel Pendini – Florença.

Nunca chegue no seu destino sem hospedagem, primeiro porque você corre o risco de ter a entrada barrada pela imigração e segundo, porque pagará muuuuuito mais caro pra reservar um quarto na hora. E ainda, é importantíssimo levar impresso sua confirmação de reserva, assim, não há como a imigração te recusar por este motivo.


Comida:

Eu pesquiso os restaurantes próximos aos lugares que irei e já chego lá sabendo qual a média de preços dos pratos, o que geralmente está disponível no menu e se exige reserva e vestimenta adequada. Eu nunca escolho os restaurantes que ficam em frente as atrações turísticas, (acredito que eles são uma cilada; lotados, com atendimento ruim e caros). E sempre, SEMPRE abro o Google ou o Tripadvisor para ler as avaliações de pessoas que já frequentaram o lugar.

Não é uma regra, mas de praxe, o menu de almoço no mesmo restaurante é bem mais barato do que no jantar.

Banquete Kaiseki consistindo de vários pratos servidos em diversas porções.
Almoço Kaiseki no Aji-no Yohei em Takayama.

Quer economizar pra valer? Escolha alguma das refeições para ser apenas um lanche.

Passe no mercado e compre alguma comida que dê energia e que tenha valor nutricional. Saladas, pães, embutidos, frutas, sucos, vinhos ou o que preferir. Assim você faz um “piquenique” no quarto e ainda aproveita pra relaxar um pouco.

"Pequena" mortadella no mercado de Roma.
“Pequena” mortadella no mercado de Roma.
Sanduíches no Bread-in em Roma.
Sanduíches no Bread-in em Roma.

Só não faça isso em toda refeição, afinal, a comida faz parte da cultura do lugar, e comer algo regional é uma experiência única e tem que entrar no roteiro.


Conclusão:

Muitas pessoas adiam ou não fazem viagens porque acham que não podem pagar. Mas como você tem certeza que não pode? Você já pesquisou? Já fez um orçamento?

Eu acho que viajar é uma das melhores experiências da vida. Poder ver e tocar pessoalmente lugares e coisas que víamos no colégio, em livros e filmes é indescritível e imensurável. Por isso, aproveite!

Templo Todai-ji em Nara - Japão.
Templo Todai-ji em Nara – Japão.

Imagens e dicas: Carla Antoni

2 thoughts on “Como viajar gastando menos sem passar perrengues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: